A História da Língua Russa: Origens, Alfabeto e Seu Papel na Cultura e Literatura

Avatar de Dimitri Bobrovnikov

·

image 8 história da língua russa,língua russa,cultura russa,aprender russo,gramática russa

Explorar a história da língua russa é mergulhar em um universo onde o alfabeto cirílico, a complexa gramática russa e a rica cultura russa se entrelaçam para contar a história de um povo.

Este artigo é dedicado a todos que desejam aprender russo, fornecendo uma visão geral sobre as origens e a evolução deste idioma fascinante, desde suas raízes antigas até seu papel vital na literatura russa contemporânea.

Ao compreender a origem do russo, o alfabeto russo e os fundamentos do idioma, você pode apreciar mais profundamente como a língua reflete e molda a identidade cultural russa ao longo dos séculos.

O Nascimento da Língua Russa no Século IX

A história da língua russa começa no século IX, quando o príncipe Vladimir I decidiu adotar o cristianismo para o Estado de Kiev, um evento que não apenas uniu a região sob uma religião, mas também teve implicações profundas para a língua. A adoção do cristianismo exigia uma língua escrita para registrar os textos religiosos, estabelecendo assim as bases para o desenvolvimento do russo escrito.

Cirilo e Metódio: Os Arquitetos do Alfabeto

Cirilo e Metódio, dois irmãos de Tessalônica no século IX, desempenharam um papel crucial na fundação da tradição escrita que viria a influenciar diretamente a origem da língua russa.

Ao desenvolverem o alfabeto glagolítico para traduzir textos religiosos do grego para o eslavo, eles estabeleceram as bases para o uso do eslavo eclesiástico, uma língua que serviu como precursora do russo moderno. Este esforço facilitou a propagação do cristianismo e promoveu a literatura e a educação nas línguas eslavas, desempenhando um papel fundamental na formação da identidade cultural eslava e, por extensão, russa.

lingua russa

O Que é o Eslavo Eclesiástico?

O eslavo eclesiástico é uma língua histórica usada pela Igreja Ortodoxa para rituais, liturgias e textos religiosos. Sua importância transcende o uso religioso, pois o eslavo eclesiástico atuou como uma língua de erudição e administração em vários reinos e principados eslavos, influenciando significativamente o desenvolvimento das línguas eslavas, incluindo o russo.

A relação entre o eslavo eclesiástico e o surgimento da língua russa moderna é profunda e multifacetada. Ao longo dos séculos, o eslavo eclesiástico emprestou ao russo um vasto léxico, especialmente em campos como religião, filosofia, ciência e arte, enriquecendo assim sua expressão e precisão.

Além disso, a estrutura gramatical e sintática do eslavo eclesiástico teve um impacto duradouro na formação da gramática russa. Essa influência ajudou a moldar o russo não apenas como uma língua de comunicação cotidiana, mas também como um veículo para literatura sofisticada e pensamento acadêmico, estabelecendo uma ponte contínua entre o passado eslavo e a Rússia moderna.

Embora não seja mais falado como uma língua viva, ele deixou uma marca indelével na língua russa, especialmente em seu vocabulário e expressões escritas. Palavras como “время” (tempo) e “мир” (paz ou mundo) são exemplos de seu legado.

A Influência Tártaro-Mongol

Durante o período em que a Rússia estava sob domínio tártaro-mongol, que durou cerca de 240 anos, desde o século XIII até o final do século XV, houve uma significativa influência na língua russa.

Durante esse tempo, várias palavras foram emprestadas do idioma tártaro e do mongol para o russo, principalmente nas áreas de administração, militarismo, comércio e vida cotidiana. Por exemplo, palavras como “khan” (cã), “bazaar” (bazar), “yurt” (jurt), entre outras, foram incorporadas ao léxico russo.

cultura russa

Além disso, a estrutura e a gramática da língua russa também foram influenciadas indiretamente pela presença tártaro-mongol. Por exemplo, a estrutura das sentenças em russo pode refletir influências de idiomas túrquicos, como o tártaro e o mongol.

No entanto, é importante notar que, apesar dessa influência significativa, a língua russa conseguiu manter sua essência e identidade distintas ao longo dos séculos. Assim como outras línguas que experimentaram influências estrangeiras, a língua russa absorveu e adaptou esses elementos, enriquecendo seu vocabulário e sua expressividade sem comprometer sua integridade fundamental. Essa capacidade de absorver e assimilar influências externas é uma característica marcante da evolução linguística e cultural da Rússia.

Divergência Linguística: O Nascimento de Novos Idiomas

No século XIV, a língua eslava oriental, conhecida como antigo russo, começou a se dividir em três grandes zonas, marcando o início do desenvolvimento das línguas ucraniana, bielorrussa e russa como entidades distintas. Esse processo de divergência linguística não foi abrupto, mas sim o resultado de mudanças graduais influenciadas por fatores políticos, culturais e sociais ao longo dos séculos.

A expansão territorial, as migrações internas, assim como as interações com outros povos e culturas, desempenharam papéis cruciais nesse desenvolvimento. Especificamente, o russo moderno evoluiu a partir dos dialetos falados no nordeste de Moscou, Vladimir, Rostov, bem como dos dialetos do noroeste de Novgorod e Pskov.

Estas áreas, com suas próprias características linguísticas específicas, contribuíram para a formação da língua russa, incorporando elementos de seus diversos dialetos regionais.

a língua russa

A formação da língua russa, como a conhecemos hoje, é, portanto, o resultado de um longo processo de evolução que começou no século 14. Este processo foi influenciado tanto por fatores internos, como o desenvolvimento de dialetos locais, quanto por eventos históricos externos, como a unificação política sob Moscou e a expansão do Império Russo.

A interação entre os diferentes dialetos do nordeste e noroeste, e sua subsequente unificação linguística sob a influência de Moscou, que emergiu como o centro político e cultural, desempenhou um papel fundamental na padronização da língua russa. Com o tempo, essa língua padronizada se espalhou por todo o território russo, absorvendo e adaptando características de outros dialetos e línguas, o que contribuiu para a rica tapeçaria linguística da Rússia moderna. Assim, a evolução da língua russa é um espelho das complexas dinâmicas históricas, culturais e sociais que caracterizaram a formação do estado russo e sua identidade nacional.

A Renovação do Século XVII

O século XVII foi um período significativo na história da Rússia, marcado por uma intensa transformação cultural, política e social. Esse período viu a Rússia abrir-se mais para o Ocidente, um movimento que teve um impacto profundo na evolução da língua russa, especialmente no que diz respeito à adoção de empréstimos linguísticos de línguas estrangeiras.

História da língua russa

A influência de Kiev foi crucial nesse processo. Kiev, sendo um importante centro cultural e religioso naquela época, funcionou como uma ponte entre a Rússia e a Europa. Os “kievlyane” (habitantes de Kiev) desempenharam um papel vital ao introduzir palavras europeias, principalmente polonesas e latinas, no vocabulário russo. Isso foi em grande parte devido aos laços culturais e religiosos que Kiev manteve com a Polônia e outras partes da Europa. A introdução dessas palavras enriqueceu significativamente o russo, ampliando seu léxico com termos que abrangiam aspectos da vida cotidiana, administração, ciência e tecnologia.

O reinado de Pedro, o Grande (Петр I), foi igualmente transformador para a língua russa. Sua determinação em modernizar a Rússia e reforçar seu status como uma grande potência europeia o levou a implementar reformas abrangentes em muitos aspectos da sociedade russa, incluindo a língua. A introdução de um novo tipo de letra civil, projetado para a impressão de jornais e livros científicos, foi um passo significativo na modernização da língua russa. Essa nova tipografia não apenas facilitou a leitura e a impressão, mas também ajudou a padronizar a língua escrita.

Língua russa no século 17

Além disso, Pedro, o Grande, promoveu a introdução de empréstimos linguísticos do alemão e do inglês, refletindo seu desejo de adotar práticas ocidentais em engenharia, ciência militar e navegação. Essas palavras estrangeiras, cuidadosamente selecionadas, foram incorporadas ao russo, enriquecendo ainda mais seu vocabulário técnico e científico. Esse influxo de termos estrangeiros refletiu os esforços de Pedro para abrir a Rússia ao conhecimento e às inovações ocidentais, facilitando assim a transferência de tecnologia e ideias.

A adoção de palavras estrangeiras no século 17 foi um fenômeno que refletiu as mudanças sociais, culturais e políticas na Rússia. Esse período de “europeização” não apenas transformou a sociedade russa, mas também teve um impacto duradouro na evolução da língua russa, tornando-a mais rica e diversificada.

Século XIX: uma nova fase na evolução da língua russa

O crescimento do interesse pela literatura, filosofia e ciência ocidentais incentivou a adoção de empréstimos estrangeiros, que eram vistos como meios de enriquecer o vocabulário russo e facilitar a discussão de conceitos e ideias modernas. Este período também foi marcado pelo surgimento de um sentimento de orgulho nacional e pelo desejo de uma expressão literária verdadeiramente russa, levando a uma tensão criativa entre a adoção de estrangeirismos e a valorização de formas e temas nacionais.

Pushkin

Essa tensão se resolveu com Alexandr Pushkin. Esse famoso escritor é frequentemente chamado de “pai da língua russa moderna” por sua contribuição inestimável à literatura russa e à evolução da língua. Pushkin conseguiu sintetizar as influências do Iluminismo europeu, do romantismo e da literatura clássica com a rica tradição oral e os dialetos regionais da Rússia. Sua obra reflete uma mestria única no uso da língua russa, caracterizada por uma elegância, clareza e precisão que eram inéditas até então.

Pushkin é considerado um ponto de inflexão na literatura russa, estabelecendo as bases para o realismo russo do século XIX e influenciando profundamente todos os grandes escritores russos que vieram depois dele, como Dostoiévski, Tolstói e Tchekhov. Ele demonstrou que era possível criar uma literatura russa que fosse ao mesmo tempo profundamente nacional e universalmente ressonante, utilizando a língua russa de forma a expressar toda a gama da experiência humana e emocional.

Mudanças Pós-Revolução de 1917

Após a Revolução de Outubro de 1917, a língua russa sofreu mudanças significativas sob o regime comunista, refletindo as novas realidades políticas, sociais e ideológicas. A União Soviética empreendeu uma campanha massiva de alfabetização com o objetivo de erradicar o analfabetismo e promover a ideologia comunista. Este esforço não apenas aumentou drasticamente as taxas de alfabetização em todo o país, mas também padronizou o uso da língua russa, reduzindo as variações regionais e dialetais.

Língua russa na União Soviética

O russo pós-soviético

Após o colapso da União Soviética em 1991, a língua russa experimentou uma série de transformações significativas, refletindo as mudanças políticas, sociais e culturais que ocorreram durante a transição da Rússia para um sistema pós-soviético. Essas mudanças podem ser vistas tanto na evolução do vocabulário quanto nas atitudes em relação ao idioma e seu uso.

Uma das mudanças mais notáveis na língua russa pós-soviética foi a crescente influência do inglês e da globalização. Com o aumento do acesso à internet, à cultura pop ocidental e ao comércio internacional, muitos empréstimos linguísticos do inglês foram integrados ao russo, especialmente em áreas como tecnologia, negócios e entretenimento. Isso levou a debates entre linguistas e na sociedade sobre a “anglicização” da língua russa e a necessidade de proteger sua pureza e identidade.

O que vem agora?

Com a ascensão da internet, o russo expandiu seu léxico com uma infinidade de empréstimos, neologismos e gírias. As redes sociais, em particular, agiram como catalisadores para a criação e disseminação de novas palavras e expressões, muitas das quais surgem e se tornam populares em questão de dias. Esses ambientes digitais também democratizaram a linguagem, permitindo que indivíduos de todas as partes da Rússia e do mundo contribuam para a sua evolução.

Russo e redes sociais

Além disso, a internet facilitou a fusão de culturas e idiomas, introduzindo construções e conceitos estrangeiros no russo cotidiano. Isso não apenas enriqueceu o vocabulário, mas também desafiou os falantes a se adaptarem rapidamente às novas formas de expressão. A informalidade predominante nas comunicações online também influenciou a língua formal, tornando-a mais acessível e refletindo melhor a atualidade.

Nunca houve um momento mais empolgante para aprender russo. Aprender essa língua não é apenas uma jornada ao coração de uma das culturas mais profundas e influentes do mundo, mas também uma aventura através de uma língua que está ativamente se moldando diante de nossos olhos. Para aqueles que desejam embarcar nessa viagem, oferecemos aulas de russo particulares, em turma, e o Curso Decolando no Russo com vídeo aulas gravadas.

Conheça o curso Decolando no Russo: Clique aqui

Para aulas particulares e em turma entre em contato com a gente: Clique aqui

Leia mais:

Aula de Russo 1: Alfabeto Cirílico Russo

7 Segredos Para Aprender Russo Rápido

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Uma resposta para “A História da Língua Russa: Origens, Alfabeto e Seu Papel na Cultura e Literatura”

  1. Avatar de Heleno florentino frerire
    Heleno florentino frerire

    Aprender um novo idioma é na verdade um passo cultural muito importante nos dias de hoje, principalmente a lingua de um país mais influentes do mundo. Pra mim a importância é ler jornais, livros e até se comunicar com as pessoas de lá.

Atendimento no Whatsapp
1
Precisa de ajuda?
Escanear o código
Olá 👋
Como posso te ajudar?